Recursos de Acessibilidade: Texto menor Texto maior Contraste

Notícias / Meio Ambiente

Guarda Responsável

Entende-se por guarda responsável, um conjunto de regras, que dever ser seguidas, com a finalidade principal de garantir o bem-estar animal.

Podemos dividir a guarda responsável em três períodos: Antes de adotar, no momento da adoção, e após a adoção do animal, onde, em cada etapa, temos uma série de fatores muito importantes, que temos de levar em consideração, tais como:

Antes de adotar:
· Qual animal que eu quero, um cachorro ou um gato?
· Macho ou Fêmea?
· De porte grande, médio, pequeno ou mini?
· Para ficar em qual local? Numa chácara? No quintal de uma casa? Em um apartamento?
· Vou ter tempo para passear com ele, dar carinho, dar banho?
· Quando for viajar, quem irá cuidar dele?
· Lembre-se, aquele filhotinho pequenino vai crescer! Os animais vivem em média 12 a 15 anos, podendo, em alguns casos, chegarem até os 20 anos!

No momento da adoção:
· Adote animais ao invés de comprar;
· Vá com toda a família, para que todos possam decidir em conjunto, qual animal adotar;
· Se informe sobre o histórico do animal, como por exemplo, se é castrado, vacinado, agressivo, etc;
· Procure se informar qual ração o animal está consumindo, para que você, caso queira trocar a marca, possa fazê-la aos poucos, evitando assim, algum distúrbio intestinal;

Após a adoção:
· Seja paciente, o animal está chegando num local novo para ele!
· Mantenha o animal dentro dos limites da residência, nunca solto na rua!
· Disponibilize alimento de boa qualidade (ração), água fresca e abrigo!
· Lave sempre os recipientes de água e comida!
· O animal adora e precisa passear, leve-o devidamente contido com coleira e guia, e conduzido por alguém que possa segurá-lo. Se o animal for bravo, coloque uma focinheira!
· Dê sempre carinho e atenção para seu animal! Eles adoram brincar!
· Durante o passeio, recolha os dejetos (cocô) com uma sacola plástica, e descarte em local apropriado (lixeira);
· Se você não vai cruzar seu animal, a castração é a decisão mais correta. Além de se evitar a superpopulação e o abandono de filhotes, há ainda outras vantagens, principalmente nas fêmeas, como por exemplo, evitam-se infecções uterinas, cio, gravidez psicológica e, se castrada antes do primeiro cio, reduz-se a possibilidade de ocorrência de tumor de mama. Nos machos, pode ocorrer a redução da agressividade, além de se evitar a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis;
· Mantenha seu animal com a vacinação e vermifugação em dia!
· Caso o animal adoeça, não dê nenhum medicamento humano que você tenha em casa, alguns podem até matar o animal!
· Leve-o regularmente ao médico veterinário!
· Nunca abandone um animal! Estando solto na rua, eles podem sofrer vários tipos de maus-tratos, como espancamentos, mutilações, envenenamento, além do mais, ele sentirá fome, frio, sede, e poderá ser atropelado, ficar triste, doente, etc. o seu animal é sua responsabilidade!